O Padreador

Todo cão merece ser mantido saudável, limpo e feliz. Na verdade o  YORKSHIRE é um cão naturalmente alegre e muito saudável, e entre as raças consideradas de luxo, é uma das mais resistentes.

A seleção de escolha de um filhote para ser padreador, deve ser efetuada criteriosamente. Nesse caso, exige-se um alto grau de perfeição, uma vez que ele poderá ser o responsável por várias ninhadas.

O filhote adquirido para ser um padreador no futuro deve ter o corpo compacto e ter pouca altura.

Não se deve usar um machinho antes que ele complete os dez meses de idade, no mínimo. Tal restrição é recompensada no futuro, pois sua vitalidade e habilidade como padreador terão maior duração se ele não for sobrecarregado enquanto era jovem. Se começar na época certa, um cão mostra-se bom reprodutor até os 9 ou 10 anos de idade.

Para  o  primeiro   acasalamento   de  um  machinho  o
ideal é que se disponha de uma cadelinha experiente e isso porque ela desejosa de ajudar, dá ao cão novo, confiança em si próprio. Um padreador realmente bom, jamais refuga.

Em principio num cruzamento, sempre é bom deixar a natureza seguir seu curso, ou seja sempre que possível não se deve interferir no ato, pois alguns cãezinhos ficam ressentidos com tal interferência, mas de modo contrário, outros não se incomodam com uma pequena ajuda.

Cabe salientar que algumas fêmeas inexperientes, são muito indóceis e tentam morder o macho . Nesse caso se torna necessário a interferência , uma vez que a cabeça dela deve permanecer bem segura, visando impedi-la de virar-se para morder o machinho, nem mesmo tentar mordê-lo , pois isso poderia fazer com que desistisse em cruzar.

Curioso ainda, o que pode ocorrer com uma cachorrinha virgem em se recusar de modo feroz ao macho,no entanto, pode ocorrer de modo diferente, se a mesma for deixada por algumas horas com ele.

É um engano pensar que uma cachorrinha não concebe se ela não ficar presa ao machinho. Sabemos que muitas ninhadas foram produzidas sem que isso ocorresse. O esperma precisa apenas entrar na vagina para que a ação da cadelinha o carregue para dentro de seu corpo.

Não se deve permitir que a fêmea sente, role, se sacuda ou remexa-se com impaciência. E isso porque o macho pode sofrer uma ruptura se a fêmea não permanecer quieta.

 

Quando o laço estiver efetivado, os cãezinhos poderão permanecer acasalados de 10 a 40 minutos.

Ao término do acasalamento é bom que a fêmea descanse, colocando-se a seu alcance uma vasilha com água fresca. De seu lado lado o machinho poderá ir para o jardim ou para seu próprio aposento; normalmente ele desejará aliviar a bexiga e os intestinos.

È sempre bom lembrar que não se deve alimentar o machinho nas duas horas antes de cruzar e isso porque ele poderá devolver a alimentação ingerida.

Finalmente, cabe salientar que ao entrar no CIO, a cadela deverá ser isolada; com isso se afasta um pouco a possibilidade do machinho ficar super excitado, gastando suas energias e diminuindo suas forças antes da hora certa.